“Não pise em ninguém quando estiver subindo, pois poderá encontrá-los quando estiver descendo.” (Domínio público)

.

.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Manifestantes botam fogo em Ministérios e depredam prédios

Vários prédios da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, foram depredados por manifestantes durante protestos contra o governo federal nesta quarta-feira (24).  Houve registros de incêndios  nos ministérios da Agricultura, do Planejamento e da Cultura. O Corpo de Bombeiros não contabilizou feridos.

O térreo do Ministério do Planejamento  foi atingido pelas chamas e uma sala da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), que fica no edifício, também foi destruída.

No Ministério da Cultura, manifestantes atearam fogo em estruturas da área interna. O prédio também é sede do Ministério do Meio Ambiente. As chamas foram contidas por brigadistas.

No prédio dos ministérios da Cultura e do Meio Ambiente, documentos e computadores foram depredados. Vidros da fachada e das portas de acesso foram quebrados.

Na área externa dos prédios, lixeiras, orelhões e banheiros químicos foram incendiados e usados pelos manifestantes para montar barricadas improvisadas. Segundo a Polícia Militar, grupos levavam estilingues para atirar pedras contra policiais.



 Também foram contabilizados danos aos ministérios do Turismo, da Fazenda e de Minas e Energia. Monumentos como a Catedral Metropolitana e o Museu da República, que também ficam na Esplanada, foram alvos de pichações.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), contabilizaram nos atos  200 mil manifestantes no dia. Até as 15h30, a Secretaria de Segurança Pública estimava público de 35 mil pessoas no ápice dos protestos.

MaisPB com G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

................................................................

................................................................

................................................................

................................................................

................................................................

................................................................

...................................................

...................................................

................................................................

................................................................

.................................

.................................

...............................................................................................

...............................................................................................

.......................................................

.......................................................

.

.