O que mais nos agrada nos nossos amigos é a atenção que eles nos dedicam". (
Tristan Bernard )

.

.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Campanha contra a febre aftosa deve imunizar mais de 1 milhão de animais na Paraíba

O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap) da Gerência de Defesa Agropecuária do Estado (Geda), iniciou a campanha de vacinação contra a febre aftosa. O prazo para registro de vacinação termina no dia 31 de maio.

Os criadores deverão comprovar que vacinaram o rebanho sob pena de pagarem multa.  Para registrar a vacinação é preciso ir até os escritórios da Defesa Agropecuária, Emater ou secretarias de Agricultura dos municípios, levando a nota da compra da vacina e a relação dos animais vacinados por faixa e sexo.

“Este ano, teremos uma mudança da estratégia de vacinação. Serão imunizados apenas os animais de 0 a 24 meses de idade. Anteriormente, os criadores tinham que vacinar 100% do rebanho. Nesta etapa que se inicia agora devemos vacinar todo o rebanho, que gira em torno de 1 milhão e 300 mil animais bovinos e bubalinos”, disse o titular da Sedap, Rômulo Montenegro.

Para o gerente da Defesa Agropecuária estadual, Rubens Tadeu, a expectativa é que a imunização ultrapasse 95%.  Segundo o mesmo, a Defesa está pronta para chegar aos índices exigidos pelo Mapa mesmo que compulsoriamente.  As vacinas estarão disponíveis nas revendas de produtos veterinários. O produtor que não vacinar e não declarar vai ficar impedido de tirar a Guia de Trânsito Animal (GTA), que garante o deslocamento do animal para outras localidades.

O secretário Rômulo reforça a importância da vacina. “Quando os criadores vacinam seu rebanho, está garantindo que teremos animais sadios, assim como todos os produtos derivados destes animais e isso é salutar para o estado. Quem não vacinar fica sujeito a pagar multa, a ser autuado e as propriedades a ficarem interditadas e o trânsito animal fica proibido. O estado não quer esse transtorno. Por isso é fundamental o engajamento e o apoio dos produtores para que não deixem de vacinar e declarar a vacinação”, ressalta o secretário.

Secom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................