O que mais nos agrada nos nossos amigos é a atenção que eles nos dedicam". (
Tristan Bernard )

quinta-feira, 27 de abril de 2017

STF decide que servidores com dois cargos podem ter salário maior que teto

Servidores que tenham dois cargos públicos podem acumular, também, os salários, mesmo que a soma fique acima do teto remuneratório estabelecido pela Constituição Federal, equivalente ao salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) – hoje a R$ 33.763. A decisão foi dada pelo STF na tarde desta quinta-feira (27/4), por 10 votos a um. O único ministro contrário foi Edson Fachin.
  
A soma dos valores recebidos pode ser superior ao teto desde que cada salário, separadamente, seja inferior. A regra vale para todos os funcionários públicos autorizados a ter dois empregos no serviço público, como professores e profissionais da saúde. Em geral, a Constituição proíbe a acumulação.

O relator da matéria, ministro Marco Aurélio Mello, considerou inconstitucional vedar o recebimento de dois salários que, juntos, ultrapassem o teto, alegando que seria o mesmo que “o Estado dar com uma das mãos e retirar com a outra”. Os outros nove ministros que votaram com ele argumentaram que proibir os servidores de acumular os salários violaria vários princípios constitucionais, já que a Constituição garante a irredutibilidade de vencimentos.

Voto contra 

Edson Fachin considerou que o teto remuneratório é aplicável ao conjunto das remunerações recebidas de forma cumulativa. O ministro contra-argumentou os colegas dizendo que “a garantia da irredutibilidade só se aplicaria se o padrão remuneratório nominal tiver sido, então, obtido de acordo com o direito e compreendido dentro do limite máximo fixado pela Constituição”. Ou seja, os valores acima do teto deveriam ser ajustados sem que o servidor possa alegar direito adquirido.

Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................

...............................................................................