“Não pise em ninguém quando estiver subindo, pois poderá encontrá-los quando estiver descendo.” (Domínio público)

.

.

domingo, 23 de abril de 2017

ALAGOA GRANDE: Todo Economia é Pouca

(Foto - Ilustrativa)
   Nas últimas décadas, nenhuma obra teve a importância da Barragem de Pitombeiras para a população Alagoagrandense. É bom frisar que o pleito do deputado João Bosco Carneiro Junior teve atenção especial do Governador Ricardo Coutinho, pondo fim a uma crise hídrica que castigava os nossos amigos da "Terra de Jackson do Pandeiro". Porém, venho aqui chamar a atenção de todos porque a coisa não tá pra brincadeira. Segundos dados da AESA atualizados em 15 de abril último, o reservatório tinha pouco mais de 34% da sua capacidade de armazenamento, número confortável se levarmos em consideração os níveis de Camará 1,2% que também já abasteceu a cidade e Acauã com 5,3% que hoje é responsável pelo abastecimento de Itatuba, Ingá, Juarez Távora e o distrito de Zumbi. Infelizmente as chuvas que esperávamos nestes primeiros meses ainda não vieram, ou seja, sai mais água da barragem do que entra. Para se ter uma ideia, segundo a AESA, em outubro de 2016 Pitombeiras estava com 68,8% de sua capacidade, ou seja, em seis meses ela diminuiu mais de 34% do seu volume, mesmo todos sabendo que sua bacia é muito boa. Diante deste fato, observamos que a  população deve procurar economizar o líquido precioso, para que aquele passado de sofrimento jamais volte a fazer parte da rotina de Alagoa Grande.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

................................................................

................................................................

................................................................

................................................................

................................................................

................................................................

...................................................

...................................................

................................................................

................................................................

.................................

.................................

.......................................................

.......................................................

.

.